Um olho na cautela, o outro na tecnologia. Quais são as ações e ativos americanos favoritos dos bras

广告位火热招租中

O mês de maio no mercado financeiro

O mês de maio foi marcado por uma nova queda do Ibovespa e pelo “pé no freio” do Banco Central no ritmo de cortes da Selic. Nos Estados Unidos, por sua vez, as bolsas fecharam o mês em forte alta. Com isso, os investidores brasileiros que aplicam nos EUA fizeram mudanças em suas carteiras. A cautela segue no radar, mas em maio a lista de ações favoritas deles ganhou uma pitada de risco com a chegada de novas empresas de tecnologia além das já consolidadas “big techs”. As preferências desse público, no entanto, seguem na renda fixa, com fundos "money markets" (espécie de “primo gringo” dos Fundos DI) e até mesmo ETFs mais conservadores no radar.

As ações mais investidas por investidores brasileiros em maio

Segundo o levantamento mensal feito pela corretora Avenue, que oferece uma plataforma para os brasileiros investirem no mercado americano, a lista das dez ações mais investidas por esse público em maio foi totalmente composta pelo segmento “tech". Em abril, elas eram oito entre as 10 favoritas. As novidades do mês ficaram por conta da chegada da companhia de softwares MicroStrategy, que apareceu em segundo lugar dentre as mais negociadas no mês, e a Super Micro, empresa que fornece ferramentas de servidor, armazenamento e rede, que ficou em décimo lugar nas favoritas do mês.

Segundo William Castro Alves, estrategista-chefe da Avenue, a chegada dessas companhias à lista mostra o crescente interesse dos investidores em se expor ao novo mercado de inteligência artificial e de tudo que está relacionado a ele. Outro exemplo disso foi a continuidade da fabricante de semicondutores Taiwan Semiconductor Manufacturing, ou TSM, no ranking, na nona colocação. A companhia apareceu na lista pela primeira vez em março e se mantém na seleção desde então.

Outra companhia que segue firme e forte na seleção, dessa vez ocupando o primeiro lugar entre as favoritas de maio, é a Nvidia. A fabricante de chips é um dos principais nomes dessa “corrida da inteligência artificial”. Não à toa, a companhia atingiu, recentemente, o recorde de US$ 3 bilhões em valor de mercado.

Outras preferências de investimento

O levantamento da Avenue mostrou, no entanto, que o foco dos investidores brasileiros segue na renda fixa. Os juros norte-americanos seguem em patamares recordes e, com isso, ativos dessa classe vêm entregando rentabilidades atrativas.

Na lista dos fundos favoritos, por exemplo, estão alguns fundos de renda fixa mais sofisticados, como produtos do JP Morgan e da PIMCO, e também fundos do tipo "money markets" (espécie de “primo gringo” dos Fundos DI).

"Vemos uma alocação maior dos nossos clientes em fundos. E os fundos de renda fixa continuam sendo os mais procurados, porque você tem uma taxa de juros elevadas. O brasileiro já é mais avesso a bolsa e quer uma coisa de segurança mesmo. Vemos alocação tanto nos fundos do tipo DI como nos fundos de renda fixa um pouco mais diversificados, que é para o investidor tentar pegar um rendimento maior", afirma Castro Alves.

Um comportamento semelhante é visto nos ETFs, fundos de gestão passiva que seguem algum índice da bolsa, seja de renda fixa ou variável. Segundo o especialista, dos dez ETFs favor


Por /Nathália Larghi


广告位火热招租中